Harvey Weinstein é acusado por júri de NY por agressão sexual a uma terceira mulher

Um grande júri de Nova York acusou o produtor de cinema Harvey Weinstein por uma nova denúncia de agressão sexual por parte de uma terceira mulher, em um caso que remonta a 2006, anunciaram os promotores nesta segunda-feira (1).

O antes todo-poderoso magnata, que já enfrenta acusações de estupro e agressão sexual contra outras duas mulheres, foi acusado com três novas queixas, pelas quais poderá ser condenado à prisão perpétua, afirmou o promotor do distrito de Manhattan, Cyrus Vance.

No início de junho, três mulheres apresentaram uma nova demanda civil coletiva contra o ex-produtor de Hollywood. As acusações feitas a um tribunal de Nova York citam agressão sexual, apalpação, privação de liberdade e uma delas, estupro.

Dias antes, Harvey havia se entregado à polícia de Nova York. O produtor de filmes como “Shakespeare apaixonado” (1998) foi acusado por ao menos 75 mulheres de crimes sexuais.

‘Empresa sexual de Weinstein’

Uma das autoras da ação é a atriz Melissa Thompson, que diz ter sido estuprada em 2011 em um quarto de hotel por Weinstein ao discutir com ele um projeto de marketing.

Ela afirma ter sido encaminhada aos advogados Benjamin Brafman e Alex Spiro após a explosão do escândalo envolvendo o nome do produtor, em outubro do ano passado.

A atriz disse que os advogados fizeram com que ela acreditasse que eles representavam as vítimas, e ela lhes entregou evidências visual e de áudio da suposta agressão. Depois, Thompson teria sido informada que os dois trabalhavam para Weinstein.

G1