Henrique admite estratégia cautelosa do Corinthians no primeiro jogo da final: ‘Não pode ter erros

Corinthians deve apresentar uma estratégia cautelosa e com força defensiva no primeiro jogo da final da Copa do Brasil, quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Mineirão, diante do Cruzeiro.

Em entrevista coletiva, o volante Ralf e o zagueiro Henrique afirmaram que o futuro da equipe na competição passará diretamente pelo primeiro jogo. Na semifinal, é bom lembrar, o Timão segurou um 0 a 0 diante do Flamengo no Maracanã e, em casa, venceu por 2 a 1, carimbando a classificação.

– É nosso objetivo sim (sair vivo do primeiro jogo), temos que tomar cuidado, o mesmo que tomamos contra o Flamengo. Na final não pode ter erros, tem que entrar focado, ligado, para conseguir uma grande partida nesse primeiro tempo dos 180 minutos. Temos que trazer um bom resultado e decidir em casa – declarou o zagueiro, campeão do torneio em 2012, no Palmeiras.

Para fechar o time, a tendência é que o técnico Jair Ventura escale um meio-campo com Ralf e Gabriel – isso caso se confirme o retorno de Fagner, desfalque nos últimos dois jogos, na lateral.

Bastante experiente, Ralf também prega a busca por, pelo menos, um empate no jogo de ida. Os dois times voltam a ser encontrar na outra quarta-feira, dia 17, na Arena Corinthians.

– A gente tem que saber jogar essa competição, como a Libertadores. Se não perdemos fora, temos maior chance de ser campeões. A estratégia tem que ser a mesma. Vamos tentar vencer mas, não perdendo lá, temos grande chance de sermos campeões diante do nosso torcedor – afirmou.

Para conseguir um bom resultado no Mineirão, porém, os defensores do Corinthians prometem estar mais atentos a algo que atrapalhou o time na derrota por 3 a 0 contra o Flamengo, na sexta, pelo Campeonato Brasileiro. Os dois primeiros gols saíram em jogadas de escanteio.

– É o que a gente mais treina, temos que acertar e estar mais concentrados – comentou Henrique.

– A gente ficou puto, é o que a gente treina. Não podemos nos dar o luxo de tomar dois gols de bola parada. Agora é retomar e neutralizá-la – concordou Ralf, ainda irritado com isso.

Pelo regulamento deste ano, vale lembrar, não existe peso diferente para gols feitos fora de casa.

G1