Croata provoca CR7, Messi e Neymar: ‘agora estão na praia’

O técnico da Croácia, Zlatko Dalic, deu uma longa entrevista coletiva nesta quinta-feira no Estádio Luzhniki, em Moscou, um dia depois da classificação à final da Copa do Mundo contra a França.

Ele fez questão de elogiar o trabalho coletivo de seus jogadores e exaltou Luka Modric, seu camisa 10. Por isso, aproveitou para ironizar as estrelas que já ficaram pelo caminho nesta edição do Mundial.

“Cristiano Ronaldo, Neymar, Messi. Era normal falar deles antes da Copa. Eles foram para casa, estão na praia. E outros ficaram na Copa, especialmente Luka Modric. Ele é o homem do torneio, não importa quem fique com o troféu”, disse.

“Messi é o melhor jogador do mundo na minha opinião, Neymar está muito próximo dele, e as equipes que ficam dependendo apenas desses jogadores vão embora mais cedo. Quem joga de forma mais coletiva dura mais na Copa do Mundo”.

“Esta Copa do Mundo mostrou que qualquer time tem o direito de ter grandes resultados caso jogue compacto, Indivíduos não resolvem tudo sozinhos. A Croácia tem bons jogadores individualmente, mas emerge como um bom grupo. Temos uma unidade, é por isso que estamos aqui”, continuou Dalic.

O treinador croata não chegou a 15 jogos no comando da seleção nacional e já está em uma final de Copa. Para ele, o que ajudou na preparação foram os amistosos pré-Rússia 2018.

“Uma das principais razões foi os amistosos que escolhemos: quatro participantes da Copa (Peru, México, Senegal e Brasil). Foi uma grande escola para nós, conseguimos ajustar alguns erros que cometíamos. Contra o Peru, foram vários debates na imprensa, entre os torcedores… Eu disse: ‘Os jogadores têm que mudar suas preparações para a fase de grupos’. Contra o México, fomos melhores. Esses amistosos nos ajudaram a chegar até aqui”, analisou.

Agora, a adversária é a França, campeã mundial de 1998 que deixou a Croácia pelo caminho na semifinal.

Zlatko Dalic falou sobre a seleção Bleu e a colocou como seu jogo mais difícil na carreira: “Eles alcançaram a final de forma merecida, será nosso mais difícil oponente. A França mostrou diferentes formas de jogo, sabem defender em bloco e são muito bons em contra-ataques. Não será fácil defender esses contra-ataques, Mbappé e Griezmann são rápidos e perigosos”.

ESPN